Archive for the ‘MEDICINA’ Category

O segredo da impressora 3D por trás da SprintRay

Posted by Taila On dezembro - 2 - 2017

MoonRay Desktop 3D Printer fabricada pela SprintRay

Por Gregory van Zuyen

Localizado em Highland Park, Califórnia, a empresa SprintRay fabrica as impressoras 3D DLP (impressão direta por luz) mais top de linha. Infelizmente, a demanda pelo produto excede a produção atual, e eles dizem que isso é “um problema bom”.
Fundada em uma campanha Kickstarter, a empresa começou a entregar suas impressoras há alguns anos. Enquanto outras máquinas DLP mantiveram a participação de mercado dos fabricantes, SprintRay foi em uma direção diferente criando a MoonRay com uma resolução maior do que a maioria das impressoras de hobby podem precisar, e ainda mais rápida, essa impressora 3D ganhou a apreciação por um grupo de pessoas que realmente precisam desses recursos.
Alguns diriam que SprintRay encontrou uma mina de ouro na boca das pessoas.

Literalmente, seu segredo está na odontologia. A SprintRay vende quase que exclusivamente para consultórios odontologicos, oferecendo tanto aplicações de criação de moldes como resina para uso final específicas que os dentistas exigem no seu trabalho. A resina se chama NextDent fornecida pela 3D Systems, é biocompatível e certificada pela CE podendo ser utilizada no trabalho odontológico e na implantação humana.

A MoonRay faz tudo isso e muito mais. Devido à sua resolução e velocidade de impressão, a empresa também ganhou uma grande reputação entre designers e modeladores de personagem para games. O diretor de marketing da SprintRay Owen Bradbury, explicou que, embora a equipe invista mais o seu tempo em marketing para o comércio odontológico, a empresa também disponibilizou um tempo para responder a comunidade de fãs de quadrinhos, como na recente conferência da ZBrush Summit 2017 realizada pela Pixologic.
“Nós fomos recentemente escolhidos pela Patterson Dental para fornecer os nossos dispositivos”, disse Bradbury, “Agora temos um bom problema”.

Para mais informações sobre a impressora 3D MoonRay, visite o site SprintRay.us.

Tecidos e vasos sanguíneos impressos em 3D

Posted by Taila On novembro - 6 - 2017

Vasos sanguíneos impressos em 3DO sistema cardiovascular é uma rede complexa de dezenas de milhares de quilômetros de artérias, capilares e veias, que se ramificam por todo o corpo.

Os pesquisadores de tecidos passaram décadas explorando formas de desenvolver em laboratório propriedades físicas e funcionalidades biológicas semelhantes aos vasos sanguíneos saudáveis. Eles já experimentaram estruturas sintéticas para substituir vasos sanguíneos irremediavelmente danificados ou entupidos, mas ainda não apresentaram uma abordagem que funcione bem como algo real. Porem, alguns estudos recentes sugerem que os vasos sanguíneos impressos em 3D que incorporam células vivas podem ser o grande avanço nos estudos de bioimpressão 3D e órgãos sintéticos completos.

Na Universidade em San Diego, California, pesquisadores desenvolveram uma técnica para imprimir uma rede de vasos sanguíneos realista e funcional usando métodos personalizados. Conduzido pelo professor de “nanoengenharia” Shaochen Chen, a equipe criou sua própria impressora 3D, e produziu microestruturas 3D intrincadas que imitam os projetos sofisticados e as funções dos tecidos biológicos. Agora eles estão trabalhando na elaboração de tecidos específicos do paciente usando células-tronco pluripotentes induzidas por humanos, o que evitaria que os transplantes sejam atacados pelo sistema imunológico de um paciente.

Esse processo também poderia oferecer um acesso mais rápido, mais barato e eficaz de produzir materiais biocompatíveis do que os métodos existentes.

“Quase todos os tecidos e órgãos precisam de vasos sanguíneos para sobreviver e trabalhar corretamente. Este é um grande gargalo na realização de transplantes de órgãos, que estão em alta demanda, mas são escassos. Os órgãos de “bioprinção” 3D podem ajudar a completar essa lacuna, e nosso laboratório deu um grande passo em direção a esse objetivo”, disse Chen.

Vale ressaltar que pesquisas em “bioprintagem” não é algo completamente novo.

Pesquisadores de uma empresa chinesa de biotecnologia, Sichuan Revotek orientada pelo cientista James Kang, também exploram a técnica de impressão usando células-tronco autólogas, para produzir vasos sanguíneos artificiais, a técnica utiliza a bio-tinta proprietária da Revotek, patenteado como Biosynsphere, a bio-tinta é composta de células-tronco derivadas do tecido adiposo, juntamente com nutrientes e fatores de crescimento.

“As células-tronco se transformaram em células vasculares apropriadas dentro de alguns dias e, após um mês, funcionaram exatamente como os vasos sanguíneos originais. Esse é um grande passo pois a bio-tinta possui a capacidade única de desenvolver colágeno, o que permite que o tecido se desenvolva em diferentes formas. Usar as próprias células de um paciente para produzir os componentes da tinta a partir de células-tronco podem desenvolver tecidos de baixo custo que não são apenas compatíveis com o corpo do paciente, mas também se tornam parte dela”, disse Kang.

Impressão 3D Bio Impressão 3DEsse tipo de técnica está abrindo portas e oportunidades de pesquisa valiosas anteriormente indisponíveis para a ciência. O grande desafio agora é combinar as técnicas em uma maquina, então pesquisadores e cientistas poderão utilizar um laboratório de “bioprinção” 3D contendo uma impressora mais precisa, capaz de maior resolução e estruturas maiores.

No futuro, a tecnologia de impressão 3D poderá ser usada para desenvolver tecidos transplantáveis ​​personalizados para as necessidades de cada paciente.

Você poderá ver o artigo completo clicando Aqui!

COVs - Compostos orgânicos voláteis produzidos pela fusão de ABS, PLA, nylon e PETDe acordo com um recente estudo com financiamento privado na Polônia sobre os perigos dos termoplásticos aquecido, ABS, PLA, PET e nylon, o risco para a saúde humana é nominal, e mesmo no caso do ABS, está bem abaixo das limitações de exposição prescritas das organizações de segurança do trabalho (imagem acima, oferecida pelo The Journal of Occupational and Environmental Hygiene).

Segundo os autores  Szymon Wojtyła, Piotr Klama e Tomasz Baran:
“O estudo conduzido mostrou que o ABS é significativamente mais tóxico do que o PLA. A emissão de compostos orgânicos voláteis (COV) foi na faixa de 0,50 μmol / h. O estireno representou mais de 30% do COV total emitido por ABS, enquanto que para o PLA, o metacrilato de metilo foi detectado como composto predominante (44% da emissão total de COV)”.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde sobre o perigo de gases de plástico inalados, a toxicidade ocorre em temperaturas mais elevadas e em ambientes sem ventilação adequada. O relatório descreve dados específicos sobre metacrilato de metilo (MMA), os compostos orgânicos voláteis mais proeminentes em PLA:
“A toxicidade aguda do metacrilato de metilo é baixa. Foi observada irritação na pele, olho e cavidade nasal em roedores e coelhos expostos a concentrações relativamente altas de metacrilato de metilo. O produto químico suavemente sensibilizou a pele dos animais. O efeito observado com maior freqüência e em menor concentração foi a irritação da cavidade nasal após exposição repetida ao metacrilato de metilo. Também foram relatados efeitos no rim e no fígado em concentrações mais elevadas. O menor nível de efeito relatado para inalação foi de 410 mg / m3 em ratos expostos ao metacrilato de metilo por 2 anos (com base na degeneração inflamatória do epitélio nasal); o nível de efeito não observado (NOEL) nesta investigação foi de aproximadamente 100 mg / m3 “.
Embora estudos recentes recomendam a implementação de melhores sistemas de filtragem em futuras impressoras 3D de mesa para maior segurança, os resultados indicam claramente que sob operações de impressão normais, o perigo de exposição para os operadores está bem abaixo de qualquer nível de perigo.